Back to 2000: Black Music

by - 02:54



Acho incrível essa confusão que o pessoal da minha geração sempre faz entre anos 2000 e anos 90. Por a gente ter vivido um pouquinho da infância em cada lado, parece que a nossa mente simplesmente não consegue dividir o que foi vivido em cada década, sem contar que final de uma década e início de outra sempre é confuso, né? Ainda mais quando tem um fim do mundo no meio delas.
Esse início dos anos 2000 tem muita coisa incrível pra lembrar e acaba sendo ofuscado pelo brilho dos anos 90 e esse blog vem fazer papel de justiceiro das décadas e lembrar as gloriosas (e as constrangedoras também) coisas dos anos 2000. Vez ou outra vocês verão por aqui listinhas temáticas de lembranças nostálgicas pra gente se abraçar com uma lágrima no rosto ou só sentir vergonha mesmo.

Se eu penso na minha vida nessa época a principal lembrança musical é o hip hop e o RnB. Nos early 00’s todo mundo descobriu que amava black music e tinha os famosos dvds de Hip Hop em casa. Duvido que você não tenha assistido pelo menos um dos 3561213 Vídeo Traxx’s (pra quem não sabe, a mais tradicional coletânea de clipes de hip hop todos os tempos).
Se você não está muito lembrado dessa época ou quer só relembrar, escolhi 10 clipes/músicas que marcaram essa fase na minha opinião.

Dilemma

Certeza que você já levantou muito os ombrinhos ao som dessas músicas, já se questionou muito sobre o curativo do Nelly, mas ainda assim disse muitas vezes “Nelly, IIIIII love you.”, enquanto se questionava se ele e Kelly eram um casal na vida real.
A música é uma delicinha e resume bem o misto de popzinho com rap que reinava nessa época.



Mesmerize

Jay Z e Beyoncé? Nessa época a realeza se personificava em Ja Rule e Ashanti. Os dois faziam parceria com todo mundo e muitas colaborações entre si. E todo CD/DVD tinha pelo menos três feats dos dois: Wonderful, Always On Time e o meu preferido, Mesmerize.Uma trama tensa, porém romântica, com muitas reviravoltas e uma homenagem a Grease: produção digna de Oscar.



Still in Love

Você jovem que acha que Anitta ou qualquer outra funkeira carioca foi criadora do quadradinho ou que Miley Cyrus foi a grande divulgadora do Twerk, anda precisando assistir esse clipe e conhecer sua verdadeira percussora, Sasha. Por causa desse clipe todo mundo queria saber requebrar e sonhava em ir pra uma balada em que todo mundo dançava igual.
Aliás, vocês já decidiram com que boina vão sair essa noite? 



Naughty Girl

Ouso dizer que esse clipe colocou a coroa da música pop na cabeça de Ms. Carter, que até então era por nós chamada de “Beyoncé do Destiny’s Child”. Foi aí que aprendemos a nos colocar no nosso lugar enquanto outras dançavam com o Usher e sensualizavam em taças de Champanhe.



My Boo

Bem antes de Girl on Fire, Alicia Keys costuma se encontrar nas ruas com o príncipe do RnB, Usher, pra cantar sobre como eles se amam desde a infância. Mesmo sendo team Usher&Chilli (sério gente, eu nunca superei o fim desse casal) eu super queria que a história dessa música fosse real. A propósito, quem nunca sofreu pela pessoa amada ouvindo essa, hein?



Run It

Houve uma época em que Chris Brown não era essa coisa ridícula com que lidamos hoje, pelo contrário, era um adolescente fofo que detinha o coração de todas as menininhas – o meu, talvez, com maior intensidade – e que fazia todos os meninos usarem bonés com letras inscritas. Essa é a música que menos gosto dele, mas ela tocava exaustivamente em 2005. Aff, quero o Chris dos pôsteres da minha parede de volta.


So Sick

Tenho minha teoria de que o Ne-Yo talvez seja o homem perfeito: lindo, elegante, cavalheiro, dança bem, canta bem, faz músicas lindas... Tenho minha teoria também de que ele é homem da minha vida, que a gente deveria se casar, etc.  Mas como o assunto aqui é música e não minha vida sentimental, relembre esse outro clássico do sofrimento pela pessoa amada ou do sofrimento de contemplar essas bordas moderníssimas que mais parecem de vídeo de casamento. (PS: Ne-Yo, pode me ligar quando quiser, ta?)


Shut Up

Algo que talvez nem todo mundo saiba é que existe BEP antes de Shut Up, mas era Um BEP sem Fergie e cantando hip hop roots. Daí eles convidaram a Fergie pra fazer uma participaçãozinha nessa música e o resultado foi tão bom que ela acabou tendo a carteira assinada e desde então todas as demais músicas lançadas foram sucesso. Mais uma da lista das que tocaram até a gente implorar pra pararem.


Beautiful

Outra dupla que reinava nessa época era Snoopy Dogg e Pharrel. Essa música, por exemplo, ta em todos os cds de hip hop da década passada e todo mundo amava a novidade do clipe ter sido gravado no Brasil. E esse início, gente, que coisa maravilhosa?! Ser descolado nessa época era atender o telefone dizendo “Oi, fala comigo.”.


P.I.M.P.

Essa música é pra preencher vaga reservada para o 50cent no meu coração post. O certo seria eu colocar InDaClub ou Candy Shop, mas esse é um blog de família e eu acho que clipes com a G Unit refletem melhor o 50 dessa época.
Aliás, outro fim de relacionamento que não superei foi o dele com a Ciara. Can't Leave 'Em Alone é uma das mais lindas celebrações do amor. Casais que eu gosto: apenas parem de se separar e se amem pra sempre. Obrigada.



Girlfriend

Imagine você, caro leitor, um clipe com Will Smith, a Claire de Eu e a Patroa e as Crianças e os caras do B2K em uma trama de ação, suspense, drama e romance, delicadamente copiada pelo jovem de sobrenome Bieber nos dias de hoje. Pense se existe a possibilidade de não amarmos. Não, não existe. Inclusive vou criar uma campanha pela volta do B2K. Sentimos saudades.

Obs.: Não achei a versão completa do clipe em boa qualidade, então coloquei aqui uma versão só com os meninos cantando e dançando (muito), mas você pode conferir a sensacional versão quase cinematográfica em qualidade ruinzinha aqui.


Citei onze músicas só porque esse post tem que acabar em algum momento, porque eu poderia ficar aqui por meses. E vocês, chegaram a entrar na modinha da black music? E qual a principal lembrança que têm dessa época? Conta pra mim nos comentários.

You May Also Like

0 comentários

Deixe aqui sua opinião sobre esse post, ela é muito importante!

*Lembrando que eu irei respondê-lo assim que possível, portanto volte nesse post para ver a sua resposta!

* Comentários Anônimos não serão aceitos. Não custa nada se identificar, não é mesmo?!

Licença Creative Commons
Carô de Caroline Frizeiro está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://www.carolinefrizeiro.com/.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://www.carolinefrizeiro.com/p/contato.html.
É importante informar que este blog contém imagens extraídas de sites de busca, não tendo sido encontrado o proprietário das mesmas. Se você possui direitos sobre qualquer imagem aqui contida por favor entre em contato para pedir a remoção ou créditos. Seu pedido será imediatamente atendido. Obrigada.